UMP-BA arrecada doações para famílias da periferia de Salvador

Em Salvador, a União por Moradia Popular da Bahia (UMP-BA) está com uma campanha voltada para as famílias que ocupam os empreendimentos Condomínio das Mangueiras ( 150 famílias) e Residencial Vitória da União ( 20 famílias). As doações permitirão que as famílias possam se manter em isolamento físico, suas vidas e de suas famílias. Ressalta-se que lá vivem pessoas em situação de vulnerabilidade social, sendo mais de 90% das trabalhadoras e trabalhadores do mercado informal, portanto sem alternativa de sustento.

Para doar, entre em contato com a coordenadora da União na Bahia, Marli (71) 98953-7814

Veja abaixo fotos da primeira doação realizada às famílias.

Coalizão Internacional pelo Habitat promove ações frente ao COVID-19

A HIC – Coalizão Internacional pelo Habitat, uma rede mundial de luta por direitos relacionados à cidade e à moradia, por justiça social, igualdade de gênero e sustentabilidade ambiental, direcionou uma plataforma para divulgar as ações de seus integrantes no combate aos efeitos do Coronavírus. Nesta página – https://hic-al.org/covid19-vivienda/# – é possível conhecer diferentes experiências pelo mundo de enfrentamento à crise sanitária, econômica e social que decorre da disseminação do Covid-19. Confira e divulgue!

CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE COM OS SEM-TETO | UMP-RJ

Apoie as famílias sem-teto do Rio de Janeiro por meio de doação por vaquinha on-line, neste link: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/campanha-de-soliedariedade-com-os-sem-teto-ump-rj

A União por Moradia Popular do Rio de Janeiro – UMP-RJ, movimento de luta por moradia digna que atua no Rio de Janeiro há mais de 20 anos, vem manifestar sua enorme preocupação com a população sem-teto que neste momento de crise provocada pela pandemia do Coronavirús, se encontra ainda mais vulnerável, tanto do ponto de vista da exposição à doença, como em relação as conseqüências econômicas geradas por esse período de quarentena.

Como sabemos, a população sem-teto é formada especialmente por trabalhadores informais e/ou de idosos, com uma grande parcela de sua renda comprometida com o pagamento de aluguel, ou que moram de favor na casa de parentes, ou que vivem em habitações precárias e insalubres nas favelas ou mesmo em situação de rua; situações essas que tornam essas famílias as maiores vítimas do descaso das autoridades com o precário serviço de saúde pública, bem como com a crise econômica e desemprego gerada pela paralisação praticamente total da economia. 

Diante deste cenário de extrema dificuldade e acreditando que somente através da organização popular é que poderemos atravessar essa crise, a UMP-RJ convoca a solidariedade de todas e todos para contribuírem com uma caixinha para a compra de cestas básicas com alimentos, produtos de limpeza e itens para a prevenção ao Coronavirús destinadas às famílias sem-teto.

A UMP-RJ agradece a todas e todos que puderem compartilhar e fortalecer essa campanha na esperança de que juntxs iremos atravessar esse período difícil e viver momentos melhores.

APOIE AS FAMÍLIAS SEM-TETO DO RJ! Para apoiar, basta doar pela vaquinha on-line, disponível neste link: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/campanha-de-soliedariedade-com-os-sem-teto-ump-rj

Sindipetro-SP faz doação de cestas em Heliópolis, favela de São Paulo

Em cumprimento ao papel cidadão, função de qualquer organização social, o Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo entregou na quarta-feira (1/4), mais de 180 itens entre alimentos, produtos de higiene e de limpeza, para serem distribuídos na comunidade de Heliópolis. Se você quer contribuir também, pode deixar aqui nos comentários ou acessar o site www.sindipetrosp.org.br e entre em contato por um dos e-mail.

📽Confira como foi e vídeo publicado na página do Facebook do Sindicato: https://www.facebook.com/sindipetrosp/videos/203803784252159/?sfnsn=wiwspmo&extid=MWZ7uy6xMC4vfP3Z&d=n&vh=e

Secretaria de Mulheres da UMM-SP luta pela proteção à mulher vítima de violência

A Secretaria de Mulheres da União dos Movimentos de Moradia de São Paulo, juntamente com a Rede Mulher e Hábitat, tem como foco dar orientações e recomendações para às mulheres vítimas de violência, para que não se sintam sozinhas nesse período de confinamento em razão da propagação do COVID-19. É preciso alertar a sociedade para que as mulheres que sofrerem qualquer tipo de violência seja verbal ou física tenham acesso aos canais de atendimento virtual e não se calem. Denunciem pelo telefone 180, procurem também a Casa da Mulher Brasileira, pois é um espaço amplo com diversos tipos de atendimento à mulher vítima de violência, além da delegacia de Defesa da Mulher (DDM), com ações de prevenção, proteção e investigação dos crimes de violência doméstica.

Canais de denúncia:
– Ministério Público, com atuação na ação penal dos crimes de violência;
– Defensoria Pública, com orientação às mulheres sobre seus direitos e assistência jurídica;
– Tribunal de Justiça, responsável pelos processos, julgamentos e execução das causas relacionadas à violência;
– Destacamento do programa Guardiã Maria da Penha, da Guarda Civil Metropolitana, para proteger as vítimas;
– Alojamento de acolhimento provisório para os casos de iminência de morte. End: Rua Vieira Ravasco, 26- Cambuci ou pelo telefone: (11) 3275-8000 ou pelos canais virtuais pela internet.

CEPROCIG faz ação de apoio às famílias no Grajaú – São Paulo

O Ceprocig – CENTRO DE PROMOÇÃO RESGATE A CIDADANIA GRAJAÚ – PAULO VI, é uma entidade sem fins lucrativos que atua na periferia de São Paulo, região extremo Sul da Cidade, com base nos princípios da solidariedade, do companheirismo, da cooperação e da integração social. Atua nas áreas da infância, juventude, assistência social, em defesa dos direitos humanos, no combate ao racismo e machismo, e pela democracia.

Para combater os efeitos do COVID-19, o Ceprocig fez uma parceria com unidades de saúde da região e abriu sua sede para vacinação contra a gripe (veja foto abaixo). Além disso, iniciou campanha para doações para as famílias mais vulneráveis da região. Apoie as famílias do Extremo Sul de São Paulo, região de alta vulnerabilidade social. Para apoiar, entre em contato com Nani Cruz, presidenta do Ceprocig – (11) 94422-9006.

Rua Torquato Tapajós, 71- Parque Grajaú – São Paulo.

                                                

FLM cria campanha de solidariedade

A Frente de Luta por Moradia (FLM), que atua junto com os sem tetos na cidade de São Paulo, está fazendo uma campanha de solidariedade às famílias trabalhadoras de baixa renda. A ideia é ajudar quem vive nas ocupações e e famílias em situação de maior vulnerabilidade. Para isso, foram criados comitês de solidariedade or região e aos/às trabalhadores/as desempregados/as. Veja nas imagens abaixo como ajudar, por região da cidade.

UMM PROMOVE AÇÃO DE SOLIDARIEDADE NAS PERIFERIAS DE SÃO PAULO

Para doar, entre na vaquinha online da União dos Movimentos de Moradia – Acesse aqui: http://vaka.me/974021

A União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM-SP) deu início nesta semana à ação social de distribuição de cestas básicas em regiões em que atua, com enfoque nas ocupações urbanas (de prédio e terra) favelas e mutirões autogestionários. Com uma atuação de mais de 30 anos nas periferias da cidade, a UMM buscou nos últimos dias identificar as regiões e famílias mais vulneráveis, para que as doações cheguem em quem mais precisa. Nossas lideranças, que atuam em todas as regiões de São Paulo, estão em um intenso trabalho de levantamento de informações sobre as necessidades da população mais vulnerável, e a partir disso realiza esta ação de distribuição que visa minorar os efeitos econômico-sociais da propagação do COVID-19, e com isso dar suporte para que o isolamento físico de fato aconteça. Ressaltamos que somente com garantia de condições de vida as pessoas de fato podem permanecer em suas casas, de modo que esta ação faz parte da política de isolamento preconizada pelos sanitaristas.

A iniciativa faz parte de um conjunto de ações dos movimentos populares urbanos para enfrentar os efeitos do COVID-19. Para além da solidariedade, precisamos seguir em luta para que o Estado cumpra seu papel, com a efetivação de políticas públicas que diminuam o impacto econômico-social no cotidiano das famílias, e uma completa mudança da política macroeconômica federal, que passe a ser orientada pelas necessidades das classes populares, e não pelos interesses do mercado financeiro. Para garantir saúde para toda a população, é fundamental, por exemplo, que todas as famílias tenham moradia digna e acesso a um sistema público de saúde universal e gratuito, de modo que junto a medidas como a “renda básica emergencial”, é preciso retomar políticas como o Minha Casa Minha Vida Entidades e derrubar a Emenda Constitucional 95, que transfere recursos da saúde pública para o mercado financeiro. Também é preciso reforçar a luta pela função social da propriedade para que terrenos e prédios vazios possam abrigar quem não tem moradia.

Nosso trabalho de arrecadação e distribuição irá continuar nas próximas semanas e envolve a capital, a região metropolitana de São Paulo, o litoral e o Interior, pelas macrorregionais: Baixada Santista, ABC, Campinas, Americana, Sudoeste, Sertãozinho e Ribeirão Preto. Solicitamos que o apoio de toda sociedade fique ainda mais forte.

Confira aqui a lista de áreas atendidas pela UMM-SP por subprefeitura da cidade de São Paulo e em outras regiões do estado, com contatos das lideranças.

Quem tiver condições de fazer uma doação diretamente à UMM-SP, acesse a vaquinha online da União dos Movimentos de Moradia – Veja aqui: http://vaka.me/974021. Outra opção é transferência bancária. Os dados são: CNPJ 66.852.393/0001-70 | Banco Itaú. Ag. 0184 | CC 50710-1

Para obter mais informações, entre em contato com um dos coordenadores abaixo:

Coordenação Executiva

Evaniza: (11) 97358-1689

Cristiane: (11) 97221-9749

Graça Xavier: (11) 99157-0100

Donizete: (11) 97230-5894

Dito: (11) 97418-7161

Sidnei: (11) 96158-2604

André: (11) 96847-1173

A UMM-SP

A UMM foi fundada em 1987 com o objetivo de articular e mobilizar os movimentos de moradia, lutar pelo direito à moradia, por reforma urbana e autogestão e assim resgatar a esperança do povo rumo a uma sociedade sem exclusão social. É uma articulação de movimentos que atuam na área de favelas, cortiços, sem-teto, mutirões ocupações e loteamentos. Sua atuação iniciou-se pela capital e Região Metropolitana e hoje atinge a outras regiões do estado. Sempre defendendo a proposta autogestionária, o direito à moradia e à cidade e a participação popular nas políticas públicas, a UMM organiza-se em torno desses princípios comuns que se traduzem em reivindicações, lutas concretas e propostas dirigidas ao poder público nas três esferas de governo. Nesse sentido, tem enfrentado as diferentes gestões, ao longo desse tempo, buscando a negociação e a ação propositiva, sem deixar de lado as ferramentas de luta e pressão do movimento popular. Desse trabalho, resulta a conquista de cerca de 30 mil moradias construídas em mutirão ao longo dessa caminhada, diversas favelas urbanizadas, prédios reformados para fins habitacionais, incidência na construção de programas e legislação habitacional, como o Minha Casa Minha Vida Entidades.

AS MULHERES DA AMESOL PRECISAM DE SOLIDARIEDADE!

Somos as mulheres da AMESOL (Associação de Mulheres da Economia Solidária) e vivemos do que produzimos (artesanato, alimentação, cultura…). Além do nosso trabalho diário, também nos esforçamos muito para participar ativamente do movimento feminista. A maioria de nós mora nas periferias de São Paulo e da região metropolitana e garante o sustento da família.

Sabemos que o isolamento social é uma estratégia importante para conter o contágio do novo coronavírus. Nós estamos comprometidas com a nossa saúde, a das nossas famílias e a da população das nossas cidades. Estamos fazendo quarentena. Por nós e por vocês, por todas as profissionais da saúde, da limpeza e da segurança pública.

Em meio a essa pandemia, estamos sem poder executar nosso trabalho e praticar nossos eventos e feiras, onde nosso sustento é gerado. Mas ainda precisamos pagar o aluguel, contas, e garantir a alimentação de filhos e filhas. O momento é muito grave.

Por isso, pedimos a sua solidariedade. Se sobrou um pouquinho do seu dinheiro este mês, contribua com a nossa vaquinha e nos ajude a garantir a moradia e alimentação das mulheres que se encontram em situação de maior vulnerabilidade. Se você não pode contribuir, ajude a gente divulgando essa mensagem nos grupos e redes sociais.

Acesse a vaquinha: benfeitoria.com/amesolprecisadevoce
Assista nosso vídeo: