CMP participa de assembleia com mais de mil trabalhadores sem teto em SP

Em uma assembleia organizada pela Unificação das Lutas de Cortiço e Moradia (ULCM), na zona leste de São Paulo, cerca de mil trabalhadores sem teto se reuniram neste domingo (27), contra os despejos no Brasil e pela prorrogação da vigência da Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 828, no Supremo Tribunal Federal, que impede remoções no campo e na cidade durante a pandemia. No evento, moradores da ocupação Jorge Hereda receberam as famílias das ocupações Terra Prometida e Estrela de Davi para juntos travarem uma agenda de luta na capital paulista.

A Central de Movimentos Populares (CMP) participou do encontro e esteve representada por Raimundo Bonfim, coordenador nacional da entidade, e por Benedito Barbosa, o Dito, coordenador da CMP em São Paulo. Ambos falaram sobre a importância da ADPF 828 em um momento em que o país soma mais de 12 milhões de desempregados e vive uma inflação recorde com aumentos sucessivos dos preços dos alimentos, gás de cozinha, energia elétrica e combustível.

“No próximo dia 31 finda o prazo da medida judicial que impede despejos no país. Se o STF não prorrogar a vigência da ADPF 828 mais de meio milhão de pessoas correm o risco de serem despejadas nos próximos meses. Nós estamos aqui reafirmando o nosso compromisso com as mais de 1.500 famílias que vivem nessas três ocupações. Vamos intensificar a nossa mobilização e exigir do poder judiciário a proteção de quem não têm como pagar um aluguel neste país”, disse Raimundo Bomfim.

Fruto da mobilização realizada no último dia 17, quando milhares de sem teto foram às ruas contra despejos em todo o Brasil, na próxima quarta-feira (30) haverá uma audiência no STF com o ministro Luís Roberto Barroso, responsável pelo julgamento do novo pedido de prorrogação da ADPF 828.

“Temos uma grande expectativa com essa audiência. Ela deve ocorrer no período da tarde, no intervalo da sessão da Suprema Corte. Disposição é o que não falta pra nós. Seguiremos firmes na luta porque ocupar neste país não é uma escolha”, explicou Dito que também é coordenador da Campanha Despejo Zero.

A assembleia com mais de mil pessoas neste domingo contou ainda com a presenta da deputada estadual professora Bebel (PT), os urbanistas Kazuo Nakano e Luiz Kohara, o Jadir do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o Padre Naves, da Pastoral da Moradia, além do advogado das famílias, Doutor Victor. No próximo dia 9 de abril, os movimentos populares se juntam para mais um dia de luta, com a mobilização nacional Bolsonaro Nunca Mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: