Movimentos populares realizam novo Sextou com Lula com caminhada em SP

Movimentos populares tomaram as ruas de São Paulo no final da tarde de ontem em mais um movimento Sextou com Lula e Haddad.  Até o primeiro turno das eleições, em 2 de outubro, a militância da CMP estará nas ruas de todo o país, toda sexta-feira, denunciando a grave crise social, política e econômica na qual o Brasil se encontra.

A caminhada de ontem, na capital paulista, além da CMP, contou com a participação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o Levante Popular da Juventude de São Paulo (LPJ-SP), a União dos Movimentos de Moradia (UMM) e a Frente de Luta Por Moradia (FLM).

Mais cedo, os movimentos populares lançaram também, em São Paulo, as Brigadas de Agitação e Propaganda e os Comitês de Luta em São Paulo com o objetivo de fazer o debate político eleitoral a fim de eleger Lula presidente e Fernando Haddad governador do estado. (Veja os detalhes aqui).

“Não sairemos das ruas até eleger Lula presidente e Haddad governador do Estado. O Brasil precisa ser reconstruído e, para isso, precisamos de governos que tenham compromisso com os problemas da população brasileira. Chega de ver as pessoas passando fome, desempregadas, pagando caro nas contas de luz e água. Muitos estão nas ruas também por falta de vontade política, Vamos vencer o Bolsonaro nas ruas e das redes”, destaca Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.

Veja fotos do Sextou com Lula em São Paulo.

Movimentos populares lançam as Brigadas de Agitação e Propaganda e os Comitês de Luta  em São Paulo

A Central de Movimentos Populares (CMP), o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o Levante Popular da Juventude de São Paulo (LPJ-SP), a União dos Movimentos de Moradia (UMM) e a Frente de Luta Por Moradia (FLM) lançaram nesta sexta-feira (12) as Brigadas de Agitação e Propaganda e os Comitês de Luta em São Paulo com o objetivo de fazer o debate político eleitoral a fim de eleger Lula presidente e Fernando Haddad governador do estado.

Durante o evento, Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP, explicou que a crise política, social e econômica que assolam o país só serão revertidas por meio da luta popular. “Temos a certeza de que só obteremos mudanças em prol do povo com governos democráticos e populares no Brasil e em São Paulo. Por essa razão, as Brigadas de Agitação e Propaganda e os Comitês de Luta são extremamente necessários neste momento. Estaremos juntos com uma atuação permanente nas favelas, bairros e em todos os territórios debatendo o atual cenário político, as propostas do programa da candidatura do Lula e do Haddad, e sobre as pautas populares que visam a melhoria concreta da vida do povo”, disse o coordenador da CMP.

As Brigadas de Agitação e Propaganda e Comitês de Luta serão compostas por militantes, lideranças, coordenadores/as, jovens e famílias organizadas nos movimentos populares que fazem parte dessa iniciativa. As atividades prioritárias consistem em plenárias, rodas de conversas, passeatas, bandeiraços, teatros e panfletagem.

Veja fotos da plenária

CMP participa de mobilizações históricas em defesa da democracia

A Central de Movimentos Populares (CMP) participou nesta quinta-feira (11), por meio da Campanha Fora Bolsonaro, das manifestações de rua em defesa da democracia e do processo eleitoral em diversas capitais do país e no Distrito Federal. Em São Paulo, o ato – com maior repercussão – reuniu cerca de 10 mil pessoas no vão livre do Masp, na Avenida Paulista.

Os protestos foram organizados em reposta às ameaças do presidente da República, Jair Bolsonaro, à democracia. Os atos também marcaram o Dia do Estudante. Durante o protesto na capital paulista, o movimento estudantil denunciou os ataques na Educação promovidos pelo governo federal.

Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP, explica que o ato de hoje, na Avenida Paulista, compõe um conjunto de mobilizações realizados em 25 capitais.  “Os protestos de rua são extremamente importantes neste momento. A defesa da democracia tem que ser feita pelos movimentos populares e sociais nas ruas. Nós vamos vencer Bolsonaro nas ruas e nas urnas. Em 2020 realizados os protestos de rua exigindo a vacina contra a covid-19. E agora estamos prontos para tirar Bolsonaro do Palácio do Planalto”, disse.

As manifestações de hoje, realizadas pelos movimentos populares e  sociais, deram continuidade aos atos da manhã, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Na ocasião, uma multidão se reuniu no local para acompanhar a leitura da carta às brasileiras e aos brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito. O documento já passa de 1 milhão de assinaturas. Veja aqui o discurso do coordenador nacional da CMP durante o evento na Universidade de São Paulo.

Veja abaixo momentos que ficaram marcados na história do Brasil

São Paulo

Piauí

Rondônia

Ato em defesa da democracia e do processo eleitoral reúne multidão na Faculdade de Direito da USP

A Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo foi palco de um ato histórico na manhã desta quinta-feira (11) em defesa da democracia. Mais de 800 pessoas se reuniram dentro da instituição acadêmica para a leitura da Carta aos Brasileiros e Brasileiras em Defesa da Democracia e das Eleições. No mesmo local, em 1977, foi lido o manifesto aos Brasileiros pelo fim da ditadura militar.

O encontro reuniu representantes dos movimentos populares e socias, centrais sindicais, empresários, juristas, artistas e estudantes. Dentro da universidade, os discursos recordaram os mortos na ditadura e foram marcados pela cobrança da manutenção do estado democrático de direito e do respeito ao sistema eleitoral brasileiro.

Raimundo Bonfim discursa no ato pró-democracia na Faculdade de Direito da USP

A primeira parte do ato ocorreu no salão nobre da Faculdade e teve início por volta das 10h. Na ocasião, Raimundo Bonfim, coordenador nacional da Central de Movimentos Populares, discursou aos presentes e afirmou que a democracia brasileira nunca esteve tão ameada no país.  Ele destacou a unidade da sociedade civil e dos movimentos populares na defesa das eleições, da democracia, da liberdade de imprensa e de todas as formas de expressão.

“Não é possível falar na defesa da democracia, por eleições livres e democráticas, sem dizer que a democracia é nosso farol e alicerce para lutarmos por trabalho, renda, comida, moradia, saúde e educação.  O dia 11 de agosto de 2022 ficará marcado como um marco histórico no Brasil. É nesta data que vamos manter a democracia e impedir a volta da Ditadura em nosso país”, disse. (Leia o discurso na íntegra aqui).

Do lado de fora do prédio da USP, uma multidão acompanhou pelos telões a transmissão. O público ocupou a área externa com cartazes e realizou manifestações contra a fome e a favor da democracia.

Veja abaixo as fotos do ato histórico:

Coordenador nacional da CMP discursa em ato pró-democracia na Faculdade de Direito da USP; confira

O coordenador nacional da CMP, Raimundo Bonfim, discursou nesta manhã na Faculdade de Direito da USP, durante a leitura do manifesto Em Defesa da Democracia. Trata-se de um momento histórico para o Brasil e para a Central de Movimentos Populares.

Leia o discurso do nosso coordenador na íntegra:

DEMOCRACIA E JUSTIÇA SOCIAL ANDAM JUNTAS

“Saudamos a iniciativa e subscrevemos a Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito.

A democracia brasileira nunca esteve tão ameaçada e  atacada como neste momento. É por isso que a Central de Movimentos Populares e Frente Brasil Popular se somam a este amplo movimento da sociedade civil, pois entendemos que, por meio do regime democrático, podemos caminhar rumo à superação da desigualdade social. Para nós, nunca foi tão necessário e importante a unidade da sociedade civil e dos movimentos populares na defesa do sistema Eleitoral, da Democracia, da liberdade de imprensa e de todas as formas de expressão.

Não é possível falar na defesa da democracia, por eleições livres e democráticas, sem dizer que a democracia é nosso farol e alicerce para lutarmos por trabalho, renda, comida, moradia, saúde e educação.  O dia 11 de agosto de 2022 ficará marcado como um marco histórico no Brasil. É nesta data que vamos manter a democracia e impedir a volta da Ditadura em nosso país, uma vez que ao mesmo tempo em que estamos aqui lançando o manifesto pela democracia, nós dos movimentos populares e estudantis estaremos durante todo o dia promovendo mobilizações de ruas também em defesa da democracia, do processo eleitoral, contra o desemprego e a fome, além de exigir a retomada de políticas públicas voltadas para habitação e saúde pública e educação de qualidade.

Saudamos está grande unidade que reúne diversos segmentos da sociedade civil e dos movimentos populares, de brasileiras e brasileiros em torno da defesa das eleições limpas e da democracia, da soberania popular do voto. Como a Carta afirma, no Brasil atual não há mais espaço para recessos autoritários.

Ditadura Nunca Mais!
Respeito à Democracia!
Pelos Direitos Sociais e Contra a Violência Política
Desemprego não, democracia sempre
Fome não, democracia sempre
Violência Política não, democracia sempre
Ditadura nunca mais, democracia sempre”

Raimundo Bonfim, coordenador nacional da Central de Movimentos Populares

Movimentos Populares lançam Brigadas de Agitação e Propaganda e Comitês de Luta em SP

A Central de Movimentos Populares (CMP), o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o Levante Popular da Juventude de São Paulo (LPJ-SP), a União dos Movimentos de Moradia (UMM) e a Frente de Luta Por Moradia (FLM) lançam nesta sexta-feira (12), a partir das 15h30, as Brigadas de Agitação e Propaganda e os Comitês de Luta em São Paulo com o objetivo de fazer o debate político eleitoral a fim de eleger Lula presidente e Fernando Haddad governador do estado.

Segundo os movimentos populares, São Paulo passa por um dos piores momentos de sua história. Após 2018, com a onda “Bolsodoria”, o estado vive o avanço do fascismo e um projeto decadente de exclusão social do povo paulista. Em três anos, o custo da cesta básica aumentou 48% na capital paulistana e o preço dos combustíveis subiu em velocidade recorde. O resultado foi a volta da fome, da insegurança alimentar e do desalento, com uma combinação perversa de redução de direitos sociais, alta do desemprego e avanço da apropriação das riquezas nacionais pelo capital com as privatizações e despejos. 

Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP, explica que esse trágico cenário só pode ser revertido pela luta popular. Para ele, neste ano, a campanha eleitoral em 2022 é mais do que um simples processo eleitoral, é uma importante ação de luta política para derrotar o bolsonarismo e o fascismo, na esperança de restabelecer no Brasil um projeto democrático, soberano, que recupere políticas sociais de o combate à fome, a carestia e o desemprego. Do mesmo modo, derrotar o projeto Bolsodoria em São Paulo é fundamental para retomar as conquistas de direitos sociais.

“Temos a certeza de que só obteremos mudanças em prol do povo com governos democráticos e populares no Brasil e em São Paulo. Por essa razão, as Brigadas de Agitação e Propaganda e os Comitês de Luta são extremamente necessários neste momento. Estaremos juntos com uma atuação permanente nas favelas, bairros e em todos os territórios debatendo o atual cenário político, as propostas do programa da candidatura do Lula e do Haddad, e sobre as pautas populares que visam a melhoria concreta da vida do povo”, disse o coordenador da CMP.

As Brigadas de Agitação e Propaganda e Comitês de Luta serão compostas por militantes, lideranças, coordenadores/as, jovens e famílias organizadas nos movimentos populares que fazem parte dessa iniciativa. As atividades prioritárias consistem em plenárias, rodas de conversas, passeatas, bandeiraços, teatros e panfletagem.

Sextou com Lula
Como parte das atividades das Brigadas de Agitação e Propaganda, os movimentos populares realizam desde 15  de julho o movimento ‘Sextou com Lula’. Todas as sextas-feiras militantes dialogam em todo o país sobre a grave crise política, econômica e social que assola o país e o estado. Na sexta, 12 de agosto, após o lançamento dos Comitês de Lula, os movimentos populares sairão em caminhada pelas ruas da capital paulista.

“Na semana passada, estivemos presentes em 24 pontos de São Paulo. É chegada a hora de pôr fim a toda destruição que a turma da boiada realizou no Brasil. Não aguentamos mais o desemprego, a fome, os ataques ambientais e sociais que Bolsonaro e Dória provocaram no país e no estado. Estaremos nas ruas, firmes e fortes, defendendo a nossa democracia e as eleições livres”, finaliza Raimundo.

Serviço
Brigadas de Agitação e Propaganda e os Comitês de Luta
Quando: 12 de Agosto
Horário: 15h30
Onde: Rua Thomaz Gonzaga, 50, Liberdade -Centro

Movimentos populares saem às ruas nesta 5ª feira em defesa da democracia  

A Central de Movimentos Populares (CMP), por meio da Campanha Fora Bolsonaro, composta pelas Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo, participa das mobilizações de rua desta quinta-feira (11) em defesa da democracia, do processo eleitoral livre e democrático, dos direitos, contra o desemprego, a carestia e a fome. Ao lado de outros movimentos populares e sociais e centrais sindicais, o objetivo é ocupar as principais vias do país em resposta à escalada golpista praticada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Até o momento, ao menos 24 capitais já têm atos confirmados. Em São Paulo, às 11h terá a leitura da carta às brasileiras e brasileiros em Defesa da Democracia, na Faculdade de Direito do Largo São Francisco.  O documento já conta com mais de 800 mil assinaturas.

Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP, destaca que os movimentos populares irão às ruas  para defender a democracia garantir o processo eleitoral em outubro. “A defesa da democracia e por eleições livres está sintonizada com a defesa dos direitos, emprego, comida no prato, moradia, saúde e educação. Não queremos mais esse Brasil com mais de 33 milhões de pessoas passando fome, a nossa população está correndo atrás de caminhão de lixo com restos de comida. Para além disso, vamos denunciar a violência política em curso no país. Não vamos aceitar os atos antidemocráticos praticados por Bolsonaro e seus apoiadores”, disse.

Veja abaixo os locais onde ocorrerão as mobilizações:

📍AC:
Rio Branco: Palácio do Governo (Rio Branco), 9h

📍AL:
Maceió: Praça Centenário, 8h

📍AM:
Manaus: Praça da Saudade, 15h

📍AP:
Macapá: UNIFAP (Universidade Federal do Amapá), 16h30

📍BA:
Salvador: Praça do Campo Grande, 9h

📍CE:
Fortaleza: Praça da Bandeira, 9h

📍DF:
Brasília: Congresso Nacional, 15h

📍ES:
Vitória: Praça Costa Pereira, 10h

📍GO:
Goiânia: Praça Universitária, 17h

📍MA:
São Luís: Praça Deodoro, 16h

📍MG:
Belo Horizonte, Praça Afonso Arinos, 17h

📍MS:
Campo Grande: Câmara Municipal, 10h.

📍MT:
Cuiabá: Liceu Cuiabano, 19h.

📍PA:
Belém: Mercado de São Braz, 17h

📍PB:
Campina Grande: Praça da Bandeira, 15h
João Pessoa: Lyceu Paraibano, 14h

📍PE:
Recife: Rua da Aurora, 15h

📍 PI:
Teresina: Praça Rio Branco, 8h30

📍 PR:
Curitiba: Praça Santos Andrade, 18h30

📍 RJ:
Rio de Janeiro: Candelária, 16h

📍RN:
Natal: Midway, 14h30

📍RO:
Porto Velho: UNIR – Avenida Presidente Dutra- Centro, 16h30

📍RR:
Boa vista: Maluquinha do Insikiran, 16h30

📍RS:
Porto Alegre: Colégio Julio de Castilhos, 8h
Porto Alegre: Direito UFRGS, 10h
Porto Alegre: Palácio Piratini, 12h

📍SC:
Florianópolis: Praça da Alfândega, 17h

📍SE:
Aracaju: Praça Getúlio Vargas. Bairro São José, 15h.

📍SP:
Campinas: Largo do Rosário, 10h
Santos: Praça dos Andradas, 10h
São Paulo: MASP, 17h
Ribeirão Preto: Esplanada do Teatro Pedro II, 17h

📍TO:
Palmas: UFT BLOCO C, 19h

CMP realiza mais um ‘Sextou com Lula’ em defesa da democracia e do processo eleitoral

A Central de Movimentos Populares (CMP) segue a todo vapor em mais um ‘Sextou com Lula”. Hoje, os atos aconteceram em São Paulo, Brasília e Pernambuco. Até o primeiro turno das eleições, em 2 de outubro, a militância da CMP estará nas ruas de todo o país, toda sexta-feira, denunciando a grave crise social, política e econômica na qual o Brasil se encontra.

Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP, explica que a adesão ao movimento cresce a cada semana porque o Brasil não aguarda mais o governo genocida de Jair Bolsonaro. “É chegada a hora de pôr fim a toda a destruição que a turma da boiada realizou no Brasil. Não aguentamos mais o desemprego, a fome, os ataques ambientais e sociais que Bolsonaro e sua turma provocaram no país. Estaremos nas ruas firmes e fortes defendendo a nossa democracia e as eleições livres no país”.

Na capital paulista, o ‘Sextou com Lula’ foi organizado em conjunto com o Movimento dos Atingidos por Barragens, União dos Movimentos de Moradia, Levante Popular da Juventude e Frente de Luta por Moradia:

Veja fotos e vídeos da participação da CMP no ‘Sextou com Lula’:

São Paulo

Brasília

Pernambuco

Militância da CMP participa de ato com Lula em Teresina -PI

Integrantes da Central de Movimentos Populares (CMP) participaram nesta quarta-feira (3) de um ato político em Teresina (Piauí), que contou com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O evento, organizado pelo movimento Vamos Juntos pelo Brasil, reuniu mais de 50 mil pessoas, na Arena do Povo, localizada na avenida Presidente Kennedy, zona Leste da capital piauiense

Segundo os organizadores, esse foi o maior evento da pré-campanha de Lula já realizado no Brasil – antes, o maior tinha ocorrido no Rio de Janeiro, quando reuniu cerca de 35 mil pessoas. O evento em Teresina contou também com a presença do ex-governador do Piauí Wellington Dias, candidato ao Senado, e do candidato ao governo do estado, Rafael Fonteles.

Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP, participou do ato político e disse que a grandeza do povo piauiense fez do evento um encontro memorável, marcado pelo desejo de mudanças por um país que hoje sofre com a volta da fome e da miséria.
“A CMP está preocupada com a melhoria das condições de vida da população brasileira. Queremos a retomada dos programas sociais, capazes de diminuir a desigualdade no país. O trabalhador brasileiro sofre com o alto custo de vida, com a falta do trabalho, da carestia. Precisamos reconstruir o Brasil com um novo governo a partir de janeiro de 2023”, disse.

Foto: @geirlyssilvafotografia

Neide Carvalho, coordenadora da CMP no Piauí, também esteve na Arena do Povo e ressaltou que os movimentos populares estão fortes e organizados para pôr fim ao governo Bolsonaro. “Não aguentamos mais os altos preços praticados no Brasil. A comida está cara, a gasolina está mais alta, o gás de cozinha subiu. Tem muita gente que não consegue mais fazer três refeições por dia.  Queremos um Brasil livre da fome, com carne na mesa do trabalhador e da trabalhadora. Esse governo nos trata como invisíveis. É chegada a hora de resolvermos de uma vez por toda essa situação. Vamos juntos mudar a história do Brasil com Lula na presidência, Wellington Dias no Senado e Rafael Fonteles no governo do estado do Piauí”.

Lula em Teresina

Durante o seu discurso na capital do Piauí, o ex-presidente Lula disse que Bolsonaro representa um governo genocida e que não pode se apoderar da bandeira brasileira. Ele também afirmou que os itens básicos de sobrevivência estão caros por conta do Bolsonaro, que pretende enganar a população com os auxílios eleitoreireiros. “É só até dezembro. Ele aumenta o auxílio para R$ 600, vai (pagar outras verbas) para taxista, para caminhoneiro. Porque ele acha que o povo é gado”.

O ex-presidente renovou sua sugestão de que o povo pegue esse recurso para suprir suas necessidades mais urgentes. “Mas se ele pensa que esse dinheiro vai comprar voto, no dia 2 de outubro, a gente tem que dar uma banana para o Bolsonaro, para que ele saiba que vai cair fora da governança”, disse Lula.